Por que eu amo o Natal.


Dezesseis anos, dezesseis noites mágicas de Natal. É claro que não me lembro de algumas e, de outras, faltam detalhes na minha memória. Mas, de uma coisa eu me lembro: Papai Noel visitou minha casa em cada um destes natais.
Natal é tempo de união, de gratidão, de alegria. Mas é claro que eu estaria mentindo se não incluísse comida e presentes na descrição de Natal. Quem é que não ama panetone, rabanada e essas comidas que a gente só come no Natal? É claro que faz parte. Não da simbologia, mas da representação. E presentes, também. Não pelo fato do dinheiro, mas pela alegria de deixar as pessoas que você ama felizes. Dar um abraço, dar um presente, dar um sorriso. É isso que o Natal é pra mim: a alegria de ver quem eu amo feliz.
E meu pai sempre soube como fazer isso.


Toda noite de Natal, pouco antes da meia-noite, ele me fazia sair para procurar Papai Noel nos céus. Eu e meu irmão sabíamos que o bom velhinho estava vindo, com os presentes que pedimos nas cartinhas que ele levou. E eu procurava, ansiosa, por ele nos céus. Já era tarde, eu sentia sono e estava cheia por causa da ceia, mas não me importava. Eu nunca dormi antes da meia noite numa noite de Natal.
Uma coisa triste é que nunca encontrei Papai Noel. Não como eu esperava, voando com suas renas pelo céu. Mas todas as vezes que eu não o encontrava e voltava cabisbaixa pra casa, lá estavam eles, debaixo da árvore. E eu sorria de novo, e corria pra abrir os presentes, junto da minha família. E esses foram alguns dos melhores momentos da minha vida. Não só porque eu estava feliz, mas porque eu sempre via sorrisos nos rostos de meus pais e do meu irmão.
Algumas vezes não passávamos o Natal em casa, e eu me perguntava se Papai Noel estaria deixando presentes para mim. E sempre que eu entrava em casa, ele tinha passado por lá.
Um dia, quando já tinha uns 10 anos, pedi um livro. E hoje entendo o quanto meu pai se orgulhou quando eu troquei as bonecas pelos livros naquela cartinha.
Eu ganhei o livro que eu pedi. E no Natal seguinte, ganhei mais do que eu tinha pedido. E no outro, também.
E eu cresci, mas nunca deixei de acreditar que Papai Noel existe. Porque ele nunca deixou de existir pra mim. Porque ele sempre me trouxe natais maravilhosos como presente.
E, até hoje, montar a árvore de Natal é um dos meus momentos preferidos do ano. Eu ainda escrevo cartinhas e elas somem magicamente da árvore durante a noite. E eu sempre vou procurar por Papai Noel nos céus antes da meia-noite. Eu não encontro ele lá. Mas eu encontro ele, ao meu lado, sorrindo, dizendo "filha, eu acho que vi ele ali".
Escrito por Fernanda Miranda

O Blog Gotas de Fogo deseja a todos um Feliz Natal.

Novos na Estante + Projeto de Férias

Olá, pessoas lindas! Mais um vídeo do canal, onde eu mostro meus livros mais novos e falo um pouco sobre minha meta de leitura das férias. Ignorem minha cara feia e curtam o vídeo \o/

Resenha: A Queda dos Cinco - Pittacus Lore.





Sinopse: John Smith, o Número Quatro, achou que tudo seria diferente quando os lorienos se juntassem. Eles parariam de fugir. Lutariam contra os mogadorianos. E venceriam. Mas Quatro estava errado. Depois de enfrentarem Setrákus Ra e quase serem dizimados, os membros da Garde reconhecem que estão despreparados e em minoria. Escondidos na cobertura de Nove, em Chicago, eles planejam os próximos passos. Os seis são poderosos, porém não são fortes o suficiente para enfrentar um exército inteiro, mesmo com o retorno de um antigo aliado. Para derrotar os mogadorianos, cada um deles precisará dominar seus Legados e aprender a trabalhar em equipe. O futuro incerto faz com que eles busquem a verdade sobre os Anciões e seu plano para os nove lorienos escolhidos. A Garde pode ter perdido batalhas, mas não perderá a guerra.






Olá meus leitores queridos! Tenho que me desculpar mas não pude entrar muito nesses dias, por isso fiquei esse tempinho sem postar nada. Mas quando eu sumo eu gosto de voltar com tudo, então o segundo vídeo do canal está no ar! Desta vez é a resenha do livro A Queda dos Cinco, de Pittacus Lore, o quarto da série Os Legados de Lorien que nem dá pra perceber que eu amo.

Ignorem a minha cara feia e o fato de eu não saber editar vídeos.
Aproveite e leia as resenhas dos outros livros da série: Eu Sou o Número Quatro | O Poder dos Seis | A Ascensão dos Nove


Resenha em Texto:

Me pergunto como ler e não gostar desse livro. Afinal, se leu esse livro, é porque leu os outros três, e se leu os outros três, gostou de algum deles. E, se gostou de algum deles, ficará apaixonado por este.

Estou há tanto tempo esperando por esse livro... Desde que os autores o estavam escrevendo. Quando, finalmente, pude segurar nele, não consegui parar de ler. E ainda tô com aquela tal "depressão pós-livro", pois não queria que terminasse, tentei fazer de tudo para durar mais, queria estar para sempre junto de John, Nove, Oito e os outros Gardes, lutando contra os mogadorianos, especialmente nesse livro. Porque ele é o melhor da série desde então. E também porque só Deus sabe quando sairá o próximo.

Mas, meu Pittacus Lore, que livro maravilhoso!

No quarto livro da série Os Legados de Lorien, John Smith (Quatro), está finalmente junto com os outros membros da Garde. Depois da batalha contra Setrákus Ra, líder dos mogadorianos, que deu em um tipo de empate, ele e os outros estão escondidos em Chicago, na humilde (pra não falar o contrário) cobertura de Nove, localizada no John Hancock Center. Todos os membros da Garde estão presentes, exceto um: Cinco. As dúvidas sobre quem é número Cinco, se se trata de um homem ou uma mulher ou que tipos de Legados tem não fica apenas na cabeça do leitor, mas também na de John e dos outros lorienos. Tudo o que eles sabem sobre Cinco é sua localização, graças ao tablet de Malcolm. E ele, por sinal, está se movimentando rápido demais...

Por falar em Malcolm Goode, Sam aparece neste livro. Sim, depois de um livro inteiro desaparecido, o livro começa com uma narrativa dele! É muito interessante ler a narrativa de Sam, que explica tudo o que aconteceu durante esse meio tempo. Pra quem leu "A Busca por Sam", posso dizer que o livro começa pelo final desse spin-off. Entretanto, ao invés de termos uma cópia da narrativa de Adam, temos a mesma situação, desta vez narrada por Sam.

Quando John finalmente encontra com Cinco, percebemos que ele é... Estranho. Cinco nunca viu um Mogadoriano, muito menos lutou com um, em toda sua vida. E ele faz o tipo totalmente inconveniente. Nove, com seu jeito marrento que eu amo, começa a fazer piadas de Cinco, ora engraçadas, ora apenas irritantes. E Cinco não gosta nada disso.
Marina e Oito continuam os mesmos lindos de sempre. Seis continua sendo a durona cheia de graça que todos amam. E Ella acaba descobrindo muito sobre si mesma. Coisas que eu nunca iria imaginar.

Uma coisa interessante que eu gostaria de compartilhar com vocês: eu estava lendo o livro, faltavam poucas páginas para acabar. Já estava de noite e chovia bastante, e eu estava jogada no sofá. Quando cheguei na parte mais esperada do livro (os próprios autores revelaram que "uma pessoa" morreria nesse livro), a luz acabou! E eu fiquei lá, sem saber quem tinha morrido, com um ódio enorme dos autores e da chuva! Procurei uma lanterna e terminei de ler no escuro mesmo, hahaha.

É isso pessoal, até a próxima!

Parceria: Paulo Cezar Borges (A História de Uma Paixão).

Então, pessoal, hoje eu vim com novidade! O blog agora é parceiro do Paulo Cezar Borges, autor do livro A História de Uma Paixão, publicado pela editora LP-Books. Confira um pouco mais sobre a obra:


Sinopse: Denzel  estava cansado de sua vida patética de ficar por ficar com qualquer garota, até conhecer a doce e adorável Carly. Com apenas um olhar se encantou com sua beleza. Quando se aproximou não se arrependeu, acabou conhecendo uma excelente garota, uma garota que era nova na cidade, sem muitos amigos, logo topou conhecer Denzel melhor. De encontro a encontro aconteceu um beijo, e do primeiro beijo a mais encontros, o que acabou resultando em namoro.
Tudo era perfeito nesse namoro, até o trágico acidente em que os pais de Carly morrem e ela acaba tendo que se mudar, para morar com sua avó. Uma avó que nunca gostou do namoro dos dois e tenta impedir essa paixão, por varias tentativas, encontros escondidos viram a unica alternativa para esse casal, esse namoro proibido acaba tendo ordem judicial que impede Denzel de se aproxima de Carly. E agora, será que essa paixão passa por essa barreira?

Você pode conferir algumas frases, informações e até mesmo o primeiro capítulo do livro no blog do autor, e comprar pelo site da LP-Books. Não se esqueça de visitar também a página no Skoob.

Por hoje é isso, pessoal. Espero que tenham se interessado pelo livro tanto quanto eu. :)

Resenha: A Ascensão dos Nove - Pittacus Lore.







Sinopse: "Antes de encontrar John Smith, o Número Quatro, eu estava sozinha, lutando e me escondendo para continuar viva. Juntos, somos ainda mais poderosos. Mas isso só vai durar até precisarmos nos separar para localizar os outros. Fui até a Espanha em busca da Número Sete e encontrei mais do que esperava: um décimo membro da Garde, que conseguiu escapar vivo de Lorien. Ella é mais jovem que o restante de nós, mas igualmente corajosa. Agora estamos à procura dos outros — de John inclusive." 










Este é o terceiro livro da série Os Legados de Lorien. Essa resenha pode conter spoilers dos primeiros livros da série, então recomendo que leia as resenhas anteriores: Eu Sou o Número Quatro | O Poder dos Seis

Mais união, mais ação e mais número Nove!

Devo admitir que Nove é meu personagem preferido da série. Muitos não gostam dele pelo seu jeito, mas a verdade é que sem ele a história não andaria. Ele é charmoso, descontraído e totalmente o oposto de Quatro. A maior parte dos diálogos engraçados ficam por conta dele. Ele já chega na série causando impacto.
E John não gosta dele. Quando o conheceu e o libertou no final de O Poder dos Seis, ele não imaginou que teria tantos problemas com o rapaz. E esses problemas só ressaltam o fato de que ele ainda é muito imaturo, por mais que Nove também não seja tão maduro assim. Os dois acabam se engalfinhando bastante, o que traz um pouco de humor pra série. Mas também vão amadurecendo aos poucos, o que é ótimo (Quatro bem que tava precisando de uns tapas na cara). Enquanto os dois brigam, Sam está desaparecido. John queria voltar para resgatá-lo, mas não conseguiu. Será que Sam conseguirá sobreviver a tortura mogadoriana?
Já Marina, acompanhada de Ella, Seis e Crayton, parte em busca do Número Oito, na Índia. E Oito é outro personagem surpreendente. Seus legados são incomuns, e ele é... Apaixonante. Marina pode concordar comigo nesse quesito.
Se unir nunca foi tão difícil. Entre encontros e desencontros, tudo o que eles desejam é estar juntos. Eles sabem que juntos eles serão mais fortes e finalmente terão uma chance. Mas os mogs não vão ficar esperando sentados. Seu líder, Setrákus Ra, promete acabar com as esperanças dos jovens lorienos. Ou tentar.

Os Legados de Lorien é uma série que surpreende mais o leitor a cada livro. Percebemos claramente a evolução de um livro para o outro, tanto na história em si quanto nos personagens. A história é intrigante e te deixa com ansiedade para continuar lendo.
A Ascensão dos Nove consegue ser mais emocionante do que O Poder dos Seis. Os novos personagens são cativantes e a narrativa fica cada vez mais intensa.

A continuação se chama A Queda dos Cinco, e foi lançamento de novembro da editora Intrínseca. Eu já li (e tô apaixonada!) e em breve trarei a resenha pra vocês.

Até a próxima, e lembre-se: Lorien se reerguerá!

Tag: 5 livros que eu gostaria de viver.

Olá, pessoal, como estão? Vi essa tag no blog parceiro Estante Jovem, e resolvi fazer aqui. Como o nome já diz, basta apontar 5 livros que eu gostaria de viver. Ok, então vamos lá:


5. Poderosa (Sérgio Klein):




Pode até soar um pouco infantil, mas acho que qualquer pessoa no mundo gostaria de ser Joana Dalva por um dia. A protagonista do livro Poderosa, de Sérgio Klein, literalmente tem o mundo na mão. Tudo o que ela escreve com a mão esquerda se torna realidade. Ah, se eu tivesse esse poder...







4. A Busca por Sam (Pittacus Lore):


Não sou louca, gente. Ok, talvez um pouco. Mas fiquei tão admirada com a história de Adam que eu realmente gostaria de conhecê-lo. Ou, sei lá, de ser ele. Imagina só você ser um mog? Cruzes! Mas você é um mog do bem. E isso é tão extraordinário... Melhor ainda seria se Um te desse o presente que ela dá a Adam nesse livro. E admito que desde O Poder dos Seis eu sou louca pra ir libertar o Sam da prisão mogadoriana.




3. Cerco a Macindaw (John Flanagan):



Ação, pessoal! Sim, eu sempre quis ser uma arqueira. Rangers: Ordem dos Arqueiros é uma das minhas séries preferidas, e eu sempre sonhei em estar dentro de um dos livros. Cerco a Macindaw é apenas um exemplo, já que eu gostaria de entrar em todos. Mas esse é um dos meus preferidos. É uma pena que não aceitem mulheres na corporação...








2. A Queda dos Cinco (Pittacus Lore):

Mais uma vez pode parecer loucura, mas eu faria qualquer coisa pra viver A Queda dos Cinco, de Pittacus Lore. Terminei o livro recentemente e estou simplesmente apaixonada. Sou muito fã da série Os Legados de Lorien e, na minha opinião, esse é o melhor dos quatro livros até então. Se esconder de mogadorianos e viver lutando pode não parecer uma vida ideal, mas eu adoraria estar na cobertura do John Hancock Center com os outros membros da Garde, por mais que o fim fosse trágico.




1. O Sobrinho do Mago (CS Lewis):




Mais uma série que eu gostaria de viver, em qualquer um dos livros, é As Crônicas de Nárnia. Principalmente em O Sobrinho do Mago, pois mais mágico do que estar em Nárnia seria presenciar a criação dela. Acho que este é o que eu mais gostaria de viver.





É isso, pessoal. Não vou indicar ninguém mas se quiser fazer a tag, fique à vontade. Apenas mencione o blog. :)
Espero que tenham gostado e até a próxima!

Resenha: Jesse Chesnutt e o Mistério do Planeta T12 - Leonardo Faig.






SinposeMilton, Flórida. 20 de abril de 2012. Uma data fatídica na vida de muitas pessoas. Dentre elas estão os membros da família Kirk, que subitamente sofrem ataques de pessoas que, infectadas por um misterioso vírus, se tornaram criaturas agressivas. Sedentos por sangue, os infectados invadem casas, destroem lojas e causam o caos na cidade. Jesse é um dos sobreviventes deste aterrador acontecimento e consegue fugir dessas criaturas. No caminho, encontra Kevin e Brian, também determinados a sobreviver, e juntos, munidos de armas e uma Ferrari, os sobreviventes partem em busca de respostas e de uma possível cura. Porém, estes acontecimentos podem ser o estopim de algo muito maior que estava para vir. E o misterioso planeta T12 pode ser a grande chave para desvendar este terrível vírus.






Eu fui infectada. Não, fique tranquilo, eu não estou doente. É só que mais um livro entrou pra minha lista de favoritos.
Um belo dia, no Skoob, descobri o livro Jesse Chesnutt e o Mistério do Planeta T12. Alguma coisa na capa, na estrutura da sinopse e nas resenhas positivas me chamou a atenção e o livro logo entrou pra minha lista de desejados. Eu simplesmente sou apaixonada pela literatura nacional atual. Mesmo sendo um país onde a minoria aproveita um bom livro em uma tarde chuvosa (ou qualquer outra tarde), temos muitos talentos escondidos nas prateleiras de "Literatura Nacional" das livrarias. E Leonardo Faig não deixa a desejar.
Meu namorado comprou o livro numa promoção da Saraiva, trouxe pra me mostrar e acabou deixando aqui em casa. Não perdi tempo e parei tudo o que estava fazendo para poder lê-lo.

Sabe quando você encontra um livro que contém tudo o que você mais gosta? E parece que ele foi escrito pra você? É claro que ele não foi escrito pra mim, mas foi essa a sensação que eu tive.

O livro já começa com ação, quando Jesse acorda e descobre que sua família não está em casa. Mas ele não está sozinho. Há alguém... Ou alguma coisa lá. Um ser humano com coloração esverdeada. A coisa tenta atacá-lo, mas Jesse consegue fugir. E então, descobre que esse mal parece estar assolando toda a cidade.
Jesse está sozinho, sem saber o que fazer ou para onde ir. É então que ele conhece Brian e Kevin, dois sobreviventes, como ele. Acaba por se unir a eles, que estão acompanhados de mais três sobreviventes (Carolyn, Ned e Yan). Descobre que as pessoas foram infectadas por algum tipo de vírus, transmitido por mordidas ou arranhões, que as deixam sedentas por sangue e carne humana. São como zumbis, de pele esverdeada ou amarelada. Tudo o que Jesse deseja é sobreviver, e encontrar sua família. Mas isso pode não ser nada fácil.
Ele e seus aliados pretendem encontrar uma cura, porém as coisas só pioram  a cada dia que passa. Ainda mais quando eles conhecem Jónsi.
Jónsi, o passado de Kevin e o planeta T12 são só alguns dos mistérios que encontrei nesse livro. Foi maravilhoso descobrir, pouco a pouco, cada detalhe da história.

Desde a diagramação até o desenvolvimento da história e dos personagens, tudo no livro é ótimo. É uma leitura rápida, apenas 200 páginas, mas repleta de ação e mistério. Realmente te prende e te deixa com aquele já conhecido gostinho de "quero mais".

Resenha: O Poder dos Seis - Pittacus Lore.




Sinopse: O planeta Lorien foi devastado pelos mogadorianos, e seus habitantes, dizimados. Exceto nove crianças e seus guardiões, que se exilaram na Terra. Eles são como os super-heróis que idolatramos nos filmes e nos quadrinhos – porém, são reais. O Número Um foi morto na Malásia. O Número Dois, na Inglaterra. E o Número Três, no Quênia. Tentaram pegar o Número Quatro, John Smith, em Ohio, e falharam. Em O poder dos seis, John e a Número Seis se recuperam da grande batalha contra os mogadorianos, de quem ainda fogem para salvar a própria vida. Enquanto isso, a Número Sete está escondida em um convento na Espanha, acompanhando pela Internet notícias sobre John. Ela se pergunta onde estão Cinco e Seis, imaginando se um deles é a garota de cabelo preto e olhos cinzentos de seus sonhos, cujos poderes vão além de tudo o que ela já imaginou, aquela que tem a força necessária para reunir os seis sobreviventes.





Quando li Eu Sou o Número Quatro (resenha), antes mesmo de formar uma opinião concreta sobre o livro, fui ler O Poder dos Seis. E lembro de só ter soltado quando terminei a última página, indo imediatamente ler A Ascensão dos Nove. Pra que tanto desespero? Bom, eu respondo: Os Legados de Lorien é uma série maravilhosa.

Logo no início, somos apresentados a Marina (número Sete), que mora na Espanha, em um convento. Marina deveria estar fugindo ou lutando, como os outros sobreviventes, mas sua Cêpan, Adelina, acredita que as duas estão a salvo. Ela parece ter esquecido a verdadeira missão dela na Terra: manter Marina viva e salvar a raça loriena. Tudo o que Marina sabe é que, em algum lugar, John Smith está lutando. Ela leu diversas reportagens sobre ele e, por algum motivo, sente que ele é um dos seis sobreviventes.
Enquanto isso, John, Seis e Sam estão fugindo. Eles sabem que precisam reunir todos os membros da Garde, que juntos eles serão mais fortes e terão uma chance. Mas, por onde começar? Eles podem estar em qualquer lugar desse planeta e, pra piorar, não são só os mogs que estão atrás deles, a polícia também. Será mesmo que o governo e os mogadorianos estão trabalhando juntos?
John sente muita falta de Sarah, só que ultimamente ele tem olhado para Seis com outros olhos, se é que me entendem. O problema é que Sam também está afim da Seis. Ou melhor: todo mundo nesse livro é afim da Seis. A Seis é perfeita, e até fora do livro todo mundo é apaixonado pela Seis. Não me odeiem, mas eu não sou tão fã dela. E nem do John. E muito menos da Sarah, ela só existe pra fazer partes chatas no livro.

Ok, antes que os fãs da Seis e do John me odeiem, eu gosto sim deles, como membros da Garde. Principalmente da Seis, só acho desnecessário colocar ela em um pedestal e dizer que ela é a melhor personagem do livro. O mesmo para o John, que é o protagonista, um dos mais importantes personagens de toda a história e além de tudo é Pittacus Lore. Mas é chato porque toda hora fica falando da enjoada da Sarah. Isso não é paixão, gente, isso é doença!

Voltando à resenha, eles estão fugindo e Marina está presa no convento. Ela não tem muitos amigos, apenas Héctor Ricardo, que a chama de Marina do Mar. E o cara deve ser vidente, porque dentre os Legados de Marina está a capacidade de respirar embaixo d'água. Marina ainda está desenvolvendo seus legados, mas não tem como treinar, já que Adelina não é mais sua aliada. Além de tudo isso, a mulher escondeu a arca dela. Vê se pode uma coisa dessas, gente?
Marina está sozinha, sem ter para onde ir ou o que fazer. E ela sabe que os mogadorianos estão cada vez mais perto. O que ela não sabe é que a ajuda também pode estar perto. Seis e John descobrem coisas extraordinárias ao remexerem na arca de John, e talvez algumas coisas possam ajudá-los a encontrar os outros.
Com toda a confusão, Marina acaba encontrando uma amiga. Ella, uma menina linda que tem uns nove anos e é nova no convento. Ella é a única pessoa que está disposta a ajudá-la.

O livro tem muito mais ação que o primeiro, a história te prende e os personagens se tornam cada vez mais cativantes. Pra quem não gostou do primeiro livro, eu recomendo que tente ler o segundo. É muito mais intenso e emocionante.

Moda + Livros: Unhas.

Olá, leitores! Hoje vim trazer uma novidade: a coluna Moda + Livros, que venho elaborando há algum tempo na minha cabeça, e que agora chegou aqui no Blog!
Resolvi fazer essa coluna porque eu sou daquelas que adora procurar roupas e acessórios referentes à séries literárias e livros na internet, e aqui vou postar sobre isso. Afinal, que leitor não quer um pedaço do livro nas coisas do cotidiano?

Hoje eu vim falar de uma coisa um tanto feminina. Na verdade, totalmente feminina: unhas.
Devo assumir que sou uma negação quando a questão é fazer as unhas. Não sei fazer desenhos nem no papel, imagina nas unhas? Pra mim, uma base e um esmalte estão ótimos. Mas é claro que adoro nail arts, principalmente quando o tema são livros. Por isso, separei algumas que encontrei pela internet, e que sonho em fazer um dia.
Prontas? Então, vamos lá.

Jogos Vorazes:
créditos: nail nerdtumblr

Divergente:
créditos: pinterest

A Culpa é das Estrelas:

Crepúsculo:
créditos: google

O Pequeno Príncipe:
créditos: google

Harry Potter:

As Crônicas de Nárnia: 
créditos: google

Os Instrumentos Mortais:

Alice no País das Maravilhas:
créditos: google, fotolog

O que acharam? Se eu soubesse fazer unhas, cada semana estaria com uma dessas! Mas vai que um dia eu aprendo, né? E quem sabe esse post não inspira alguém?
O máximo que consegui fazer pra estréia de Em Chamas foram unhas inspiradas na arena-relógio:

É claro que eu queria e até tentei fazer uma parecida com essas do post, mas valeu a intenção.
Por hoje é isso. Espero que tenham gostado da nova coluna, até outra hora!

Book Tour: A Garota das Cicatrizes de Fogo.



Sinopse: Quatro anos após o desaparecimento da filha e a misteriosa morte da esposa, Johnny Falco recebe uma pista que pode ajudá-lo a desvendar o caso. Um homem aparece morto com as mesmas características inexplicáveis de sua mulher: O CORPO NÃO PASSA DE UM ESQUELETO COM PELE. Seis anos após ter 80% do seu corpo queimado em um atentado, Lisa Gomez acorda em um hospital com uma incontestável diferença: TODAS AS CICATRIZES DE SEU CORPO DESAPARECERAM! E quando o destino dos dois se cruzarem na pequena cidade de Valparaíso, ambos descobrirão que as tragédias que cercam suas vidas estão muito mais interligadas do que poderiam imaginar.

A Paula, do Blog Overdose Literária, está promovendo um Book Tour do livro A Garota das Cicatrizes de Fogo, do Ricardo Ragazzo.
Ricardo Ragazzo também é autor do livro 72 Horas Para Morrer. Eu conheci A Garota das Cicatrizes de Fogo na Bienal do Livro (Rio - 2013), e fiquei muito interessada. Não pude deixar passar a oportunidade de participar do Book Tour.

Os outros blogs participantes são:

Em breve trarei mais novidades sobre o Book Tour, e assim que estiver com o livro em mãos irei devorá-lo pra fazer uma super resenha.
Até a próxima!

Resenha: Em Chamas - Suzanne Collins.




Sinopse: Depois da improvável e inusitada vitória de Katniss Everdeen e Peeta Mellark nos últimos Jogos Vorazes, algo parece ter mudado para sempre em Panem. Aqui e ali, distúrbios e agitações dão sinais de que uma revolta é iminente. Katniss e Peeta, representantes do paupérrimo Distrito 12, não apenas venceram os Jogos, mas ridicularizaram o governo e conseguiram fazer todos - incluindo o próprio Peeta - acreditarem que são um casal apaixonado. A confusão na cabeça de Katniss não é menor do que a das ruas. Em meio ao turbilhão, ela pensa cada vez mais em seu melhor amigo, o jovem caçador Gale, mas é obrigada a fingir que o romance com Peeta é real. Já o governo parece especialmente preocupado com a influência que os dois adolescentes vitoriosos - transformados em verdadeiros ídolos nacionais - podem ter na população. Por isso, existem planos especiais para mantê-los sob controle, mesmo que isso signifique forçá-los a lutar novamente.






Quem é tributo levanta a mão! _|||_

Tô pra postar essa resenha faz tempo, mas nunca postava. Daí veio o dia 15, estreou o filme (só aqui no Brasil, porque nós somos mais importantes que os gringos) e eu ainda não tinha postado a resenha. Fiquei um tempinho afastada por causa do colégio também, mas hoje eu tô aqui, finalmente, postando a resenha do melhor (na minha opinião) livro da trilogia Jogos Vorazes! Mas, cuidado: não tem como falar sobre Em Chamas sem falar sobre o final de Jogos Vorazes então, se você não quer spoiler, te aconselho a ler a resenha de Jogos Vorazes.

Que venha o terceiro Massacre Quaternário!

Katniss Everdeen e Peeta Mellark são os vencedores da 74ª edição dos Jogos Vorazes. Toda a população ficou comovida com o romance dos dois e com o final surpreendente da última edição. O episódio das amoras foi inesperado e surpreendente, e garantiu a Peeta e a Katniss a oportunidade de sair com vida da arena. Ninguém esperava que dois tributos pudessem se consagrar vitoriosos em uma mesma edição.
O casal ganhou o público da Capital. Mas Peeta e Katniss nunca foram realmente um casal, por mais que Peeta só tenha descoberto isso depois de sair da arena. A atuação foi necessária para que os dois pudessem sobreviver. As amoras não foram um gesto romântico e desesperado, e sim um gesto inteligente e rebelde. Rebeldia que, por sua vez, conquistou a população dos distritos, dando a todos esperança.
Uma faísca. Era tudo o que precisavam.
E o Presidente Snow não vai gostar nada quando souber disso...
Depois de se dar conta do que sua vitória realmente significou e de receber diversas ameaças do presidente, Katniss percebe que os Jogos ainda não terminaram para ela. Agora, ela precisa convencer a todos que seu romance com Peeta realmente existe. Mas, talvez, seja tarde demais.

A cada vinte e cinco anos é promovido um Massacre Quaternário, onde os Jogos ficam muito mais Vorazes do que o comum. Este ano os Jogos Vorazes fazem 75 anos, logo, é o ano do terceiro Massacre Quaternário. Qual será a grande surpresa?

O início é morno, mas o livro vai pegando fogo aos poucos e realmente fica Em Chamas. Suzanne Collins é uma linda, que conseguiu construir uma trilogia impecável. O primeiro livro é tão bom que te faz achar que os outros não devem ser tão bons assim. Mas são. Todos os três livros são ótimos, principalmente Em Chamas! É uma das minhas séries preferidas, e ela realmente merece parabéns pelo ótimo trabalho que fez escrevendo Jogos Vorazes. Que vontade de abraçar essa mulher! hahaha.

Além disso, o livro te dá a oportunidade de conhecer melhor alguns personagens, como o Haymitch, e te apresenta personagens essenciais para a história (Finnick, meu marido ).


créditos: tumblr.

O filme baseado no livro estreou na útlima sexta (15/11) e eu não pude deixar de ir na estréia, porque não tava aguentando de ansiedade e queria o meu pôster. Gente... O que foi aquilo? O filme ficou praticamente idêntico ao livro, muito fiel mesmo. Algumas mudanças sempre são necessárias, é claro (se não o nome não seria adaptação), mas conseguiu ser tão emocionante quanto o livro. Uma das melhores adaptações que eu já vi. Me surpreendi com alguns atores (oi, Jena Malone), porque cada um deu um show. Se você ainda não viu, aproveita e vai agora pro cinema.

Em breve postarei a resenha de A Esperança.
Até a próxima, tributos!

Resenha: Diário de Uma Paixão - Nicholas Sparks.


Sinopse"Não sou nada especial; disso estou certo. Sou um homem comum, com pensamentos comuns, e vivi uma vida comum. Não há monumentos dedicados a mim e o meu nome em breve será esquecido, mas amei outra pessoa com toda a minha alma e coração e, para mim, isso sempre bastou." (Noah Calhoun). Assim tem início uma das mais emocionantes e intensas histórias de amor que você lerá na vida... O livro é o retrato de uma relação rara e bela, que resistiu ao teste do tempo e das circunstâncias. Com um encanto que raramente é encontrado na literatura atual, O Diário de uma Paixão de Nicholas Sparks, o consagra como um contador de histórias clássicas, com uma perspectiva excepcional sobre a mais importante e única emoção que nos mantém.  A história começa no início de outubro de 1946 quando dois jovens, Noah Calhoun e Allison Nelson, se conhecem e se apaixonam perdidamente. Tudo parece perfeito, quando a família de Allie a impede de continuar a vê-lo devido a enorme diferença de classe social entre os jovens. Allie e Noah, lutam para levar uma vida normal, mesmo estando distantes. Até que um artigo de jornal muda tudo e reacende um amor há 14 anos adormecido.



Oi pessoal, como vão? Andei um tempo sumida daqui, mas voltei com novidade! Desde que criei o blog eu tinha a vontade de fazer vídeos pra postar também, mas a vergonha falta de tempo me impedia. O último livro que eu li foi Diário de Uma Paixão, do Nicholas Sparks, e como fiquei apaixonada decidi fazer, além da resenha em texto, uma resenha em vídeo. Fiquei um pouco sem saber o que falar, mas acho que nos próximos a vergonha vai sumindo.


Resenha em Texto:

Allie e Noah são jovens que se conhecem quando Allie vai passar um verão em Nova Berna, cidade onde Noah mora. Os dois se apaixonam e vivem o verão mais mágico de toda a vida deles. Eles poderiam viver felizes para sempre, sé este não fosse um romance de Nicholas Sparks.

A família de Allie tem uma boa condição financeira, ao contrário de Noah. É claro que os dois não ligam para isso ou para outros fatores, mas a mãe dela liga. Ela não aceita o romance da filha, e Allie se vê obrigada a encontrar Noah escondida até o final do verão. Mas, como todo verão, este também acaba, deixando os dois jovens de coração partido. Noah se despede de Allie promentendo escrever para ela, e os dois prometem não deixar este amor morrer.
Noah escreve para Allie todo mês. Dois anos se passam e Allie não responde nenhuma carta do amado. Tudo leva a crer que Allie não está mais interessada, então Noah escreve uma última carta, se despedindo dela. Quatorze anos se passam desde então.
Allie fica noiva de Lon, que poderia se encaixar no modelo de marido perfeito, se não trabalhasse tanto. Um dia, enquanto conversa com os pais, vê uma reportagem sobre Noah no jornal. Três semanas antes de seu casamento, sem que ninguém saiba, Allie decide procurar por Noah, que nunca deixou de ser apaixonado por ela.

Não sou muito fã de romances ou dramas, mas fiquei apaixonada pelo livro. Quem gosta do gênero não pode viver uma vida inteira sem ler este livro. Ele mostra o sentido do amor, e porque ele existe. Não é daqueles que enjoam de tanta doçura, é doce nos momentos certos e consegue ser simples e extraordinário ao mesmo tempo. Faz chorar, mas também faz pensar. E mostra, principalmente, o amor da forma que ele tem que ser. Não devemos morrer de amor, mas devemos viver com e para ele.

Selo: Liebster Award.

Oi pessoal, como vão? Hoje o blog ganhou mais um selo, indicado pela Yasmim, do blog Miih e o Mundo Literário, parceira aqui do blog. Obrigada novamente, Mih!

Regras:
  • Falar 11 coisas aleatórias sobre mim;
  • Responder as 11 perguntas feitas por quem te indicou;
  • Criar outras 11 perguntas e indicar para outros 11 blog;
  • Avisar os indicados.

11 Coisas sobre mim:
1. Eu leio na sala de aula. Sim, eu consigo ler em locais barulhentos. Mesmo que eu não vá ler em um determinado dia porque tem aulas "importantes", eu sempre me arrependo quando não levo um livro pra ler.
2. Eu não tinha nenhum interesse de ler "As Crônicas de Nárnia". Antes de ler, só tinha visto o primeiro filme. Eu só li mesmo porque eu ganhei o livro. E hoje ele é meu livro preferido, sem sobra de dúvida. <3
3. Sempre tive medo de escuro, e até hoje eu não sei porque. Hoje em dia tenho menos, mas continuo me sentindo incomodada em locais onde não haja luz.
4. Eu tinha um blog onde eu escrevia textos, mas acabei abandonando por falta de tempo.
5. Eu gosto de South Park. Sim, eu sou estranha.
6. Eu adoro jogos.
7. Eu sou tímida. Pois é. Eu tenho vergonha de falar com pessoas que não conheço, mas perto dos meus amigos eu falo, e falo até demais!
8. Eu pedia livros de Natal. E me lembro que meu pai se assustou da primeira vez.
9. Eu participei duas vezes do quadro Soletrando, do Caldeirão do Huck (2011 - 2012). Não ganhei, mas foi uma experiência ótima e muito marcante pra mim. Fiz muitos amigos, com quem mantenho contato até hoje.
10. Sou muito caseira. É claro que gosto de sair de vez em quando, mas não curto sair sempre.
11. Eu quero ser escritora.

Perguntas:

1. Que livro gostaria de viver?
Nárnia e Rangers.

2. Qual teu livro favorito?
As Crônicas de Nárnia, de C.S. Lewis.

3. A quanto tempo tem o blog? Já pensou em desistir?
2 meses. Eu desisti de outro, mas não pretendo desistir desse aqui.

4. Se considera uma pessoa.... Porque ?
Insistente. Porque quando eu quero algo eu faço de tudo pra conseguir.

5. Qual personagem literário você gostaria que fosse seu namorado? Porque ?
Eu sou casada com mais de um. Pois é. Mas um deles é o Finnick Odair (Jogos Vorazes), porque eu sou apaixonada por ele desde que li Em Chamas. Ele é meu personagem preferido de toda a trilogia. Ele é perfeito, cara. Eu chorei por causa dele!
Fora que eu tenho um caso com o Ian O'Shea, o Peeta Mellark, o Will Tratado, o Horace Altman, o Nove, os irmãos Pevensie...

6. Qual personagem literário você gostaria que não fosse seu namorado? Porque?
O Adamus (Os Legados de Lorien). Juro que não queria. Ele é um Mog! Mas infelizmente ele também é meu namorado. hehe.

7. Se lembra de qual foi seu primeiro livro? Gostou?
Eu lia muito na biblioteca do meu colégio quando eu era pequena. Mas o primeiro livro que eu pedi pra minha mãe comprar foi "Fala Sério, Mãe!", da Thalita Rebouças. É o único que eu tenho dela, apesar de ter lido vários, e foi por causa dele que comecei a me interessar por leitura.

8. Costuma ter regras ao comprar livros? Compra por que esta na promoção, por que já queria o livro, ou por que alguém indicou ?
Costumo comprar apenas os que estão em promoção. Não costumo gastar mais de R$30 reais num livro. A não ser que eu queira MUITO ler.

9. Tem metas de leitura?
Sim, o problema é que sempre ficam enormes. :3

10. Que país citado em um livro gostaria de visitar?
Nárnia. Inglaterra. Já li tantos livros que se passam lá, e sempre tive vontade de viajar pra lá.

11. Fala alguma língua estrangeira ?
Consigo enganar um pouco no Inglês.

Minhas perguntas:
  1. Que livro mais te marcou?
  2. Qual sua série literária preferida?
  3. Qual seu autor preferido?
  4. De onde surgiu a vontade de criar um blog?
  5. Qual o livro mais novo da sua estante?
  6. Qual o livo mais antigo da sua estante?
  7. Qual o livro que você menos gostou?
  8. Já torceu pra algum vilão? Qual?
  9. Qual adaptação para o cinema que mais gostou?
  10. Qual adaptação para o cinema que menos gostou?
  11. Qual seu personagem favorito? Por que?

Blogs Indicados:
Por hoje é isso. Beijos e até a próxima!

Resenha: As Vantagens de Ser Invisível - Stephen Chbosky.


Sinpose: Ao mesmo tempo engraçado e atordoante, o livro reúne as cartas de Charlie, um adolescente de quem pouco se sabe - a não ser pelo que ele conta ao amigo nessas correspondências -, que vive entre a apatia e o entusiasmo, tateando territórios inexplorados, encurralado entre o desejo de viver a própria vida e ao mesmo tempo fugir dela. As dificuldades do ambiente escolar, muitas vezes ameaçador, as descobertas dos primeiros encontros amorosos, os dramas familiares, as festas alucinantes e a eterna vontade de se sentir "infinito" ao lado dos amigos são temas que enchem de alegria e angústia a cabeça do protagonista em fase de amadurecimento. Stephen Chbosky capta com emoção esse vaivém dos sentidos e dos sentimentos e constrói uma narrativa vigorosa costurada pelas cartas de Charlie endereçadas a um amigo que não se sabe se real ou imaginário. Íntimas, hilariantes, às vezes devastadoras, as cartas mostram um jovem em confronto com a sua própria história presente e futura, ora como um personagem invisível à espreita por trás das cortinas, ora como o protagonista que tem que assumir seu papel no palco da vida. Um jovem que não se sabe quem é ou onde mora. Mas que poderia ser qualquer um, em qualquer lugar do mundo.



Um livro infinito.

Charlie é um adolescente comum, que acaba de ingressar no Ensino Médio e não tem muitos amigos. Fatos como o suicídio de seu melhor amigo e a morte de sua tia Helen o tornaram um garoto tímido e reservado. Seu único amigo é seu professor, Bill. Ele está tentando sobreviver ao colégio e à sua vida conturbada quando conhece Nada. Isso mesmo, Nada. Patrick, o menino que alguns costumam chamar de Nada, acaba se aproximando de Charlie, assim como sua irmã, Sam.
Depois disso, é como se ele finalmente tivesse encontrado o seu lugar.
Charlie começa a descobrir coisas novas, a se descobrir. Ele amadurece e passa a ver o mundo de outra forma. Durante todo o livro você observa esse progresso em relação a ele, às suas atitudes, à sua maneira de pensar e de agir. Ele também sente coisas que jamais tinha sentido. Como a sensação de estar apaixonado, e a incomparável sensação de ser "infinito".

O bacana do livro é a forma como é narrado, através de cartas, que Charlie manda para um "amigo". É quase um diário, onde ele expressa seus sentimentos e seus pensamentos mais profundos. Esse fato torna a leitura muito (e quando digo muito eu quero dizer muito mesmo) agradável. Querendo ou não, é como se você fosse o tal amigo de Charlie, com quem ele compartilha tudo. Dá vontade de entrar no livro e ajudá-lo, mas você não pode. Porque Charlie não te enviou o endereço para respostas. A cada página, você sente vontade de rir ou chorar.
A história te faz querer ler mais.

O livro é muito bom, além de ser uma leitura rápida. Foi publicado no Brasil pela editora Rocco, e a adaptação cinematográfica conta com Emma Watson e Logan Lerman. O final é esclarecedor e emocionante.
Além disso, Charlie cita várias músicas e diversos livros no decorrer da história, o que é muito interessante.

Sempre ouvi falar bem do livro, e sempre ficava com vontade de ler. Acabei criando muitas expectativas, e confesso que esse foi um erro meu. A leitura não me decepcionou, mas também não me agradou tanto quanto eu achei que iria. O livro não ficou devendo nada, eu é que esperei demais dele. Mesmo assim, gostei muito do livro, e não tiro seu mérito. Continuo dizendo que o livro é ótimo.

É um livro emocionante... E infinito.

Selo: The Versatile Blogger.

Oi gente, tudo bom? Hoje o blog ganhou o primeiro selo: o Versatile Blogger (por ser versátil), indicado pela Yasmim, do blog Miih e o Mundo Literário.
Obrigada Miih, fico muito feliz por ter sido indicada. Sabe que amo o teu blog, né? Muito sucesso pra ti e pra ele, e muito obrigada mesmo!

Regras:
  • Agradecer a pessoa que te indicou e colocar o link dela na postagem.
  • Escolher 15 blogs com menos de 200 seguidores.
  • Avisar os blogs que você indicar.
  • Escrever 7 coisas que você gosta.

7 coisas que eu gosto:
  1. Ler. (até rótulo de shampoo eu tô lendo)
  2. Escrever.
  3. Cheiro de livros novos.
  4. Jogar. (LoL, por exemplo <3)
  5. Azul.
  6. Filmes.
  7. Sorvete.
Blogs indicados:
Por hoje é isso gente, até a próxima!

Resenha: Jogos Vorazes - Suzanne Collins.





SinopseApós o fim da América do Norte, uma nova nação chamada Panem surge. Formada por doze distritos, é comandada com mão de ferro pela Capital. Uma das formas com que demonstram seu poder sobre o resto do carente país é com Jogos Vorazes, uma competição anual transmitida ao vivo pela televisão, em que um garoto e uma garota de doze a dezoito anos de cada distrito são selecionados e obrigados a lutar até a morte. Para evitar que sua irmã seja a mais nova vítima do programa, Katniss se oferece para participar em seu lugar. Vinda do empobrecido distrito 12, ela sabe como sobreviver em um ambiente hostil. Peeta, um garoto que ajudou sua família no passado, também foi selecionado. Caso vença, terá fama e fortuna. Se perder, morre. Mas para ganhar a competição, será preciso muito mais do que habilidade. Até onde Katniss estará disposta a ir para ser vitoriosa nos Jogos Vorazes?






Como não amar?

Panem é dividida em 12 distritos, mas nem sempre foi assim. Antes, quando eram 13, o último distrito rebelou-se contra a Capital e digamos que o resultado não foi muito bom. O Distrito 13 foi destruído e as coisas só pioraram desde então. Como uma forma de lembrar quem está no comando, a Capital começou a promover os Jogos Vorazes, uma competição anual onde cada distrito deve enviar um menino e uma menina de 12 a 18 anos como tributos para...
Morrer.
Sim, morrer. Porque, se só pode haver um vencedor, ou o menino, ou a menina, ou os dois, vão morrer.
Mas o pior que todos terão que assistir. A transmissão dos Jogos é obrigatória, e todos precisam assistir a 24 jovens se matando e lutando para sobreviver.
Os jovens são escolhidos por um sorteio que acontece no dia da colheita. Aos 12 anos, você precisa colocar seu nome uma vez. Aos 13, duas. Aos 14, três, e assim em diante. Mas a Capital também oferece Tésseras, um suprimento de grãos que você ganha em troca de colocar seu nome mais uma vez para o sorteio.

O livro é narrado por Katniss, uma habitante do distrito 12. Katniss tem 16 anos e mora com sua mãe e sua irmã, Prim, de 12 anos. Sua família é pobre e, por isso, ela tem a necessidade de colocar seu nome diversas vezes para o sorteio. Este é o primeiro ano em que a sua irmã, Prim, precisa colocar seu nome. Katniss não deixa que ela pegue as Tésseras, ou seja, as chances de Prim ser escolhida são mínimas. Seu nome é apenas um entre centenas.
Katniss é um tipo de rebelde. Ela e seu amigo, Gale, vivem da caça ilegal. Seu pai morreu quando era mais nova, o que a fez amadurecer bem rápido. Além do fato de que qualquer um amadurece tendo que passar fome.
No dia da colheita, Effie Trinket vai sortear os nomes dos dois jovens mais "sortudos" do Distrito 12. E adivinhem quem é a menina? Primrose Everdeen.
Sim, a Prim. Irmã de Katniss Everdeen. A que colocou o nome apenas uma vez. Essa menina tem muita sorte mesmo.
Katniss não aceita que sua irmã vá para uma arena onde 23 pessoas vão tentar matá-la. Com um ato de desespero, ela se oferece para tomar o lugar de Prim na competição.
O menino sorteado é Peeta Mellark, filho do padeiro local.
E o resto do livro é totalmente viciante.

Eu tenho muitos amigos Tributos e, antes de ler Jogos Vorazes, eles viviam dizendo que o livro era muito bom, que eu tinha que ler, que eu ia gostar... E não é que eles estavam certos?
Toda a trilogia é maravilhosa. O problema é que dá vontade de ler tudo de uma vez e isso acaba acontecendo mesmo. Eu li tudo muito rápido, pra saber tudo de uma vez, ansiosa pela próxima página, pela continuação.
Jogos Vorazes é um dos melhores livros que já li. É da autora Suzanne Collins, e foi publicado no Brasil pela editora Rocco.

E para você que ainda vai ler...
Bons Jogos Vorazes.
E que a sorte esteja sempre ao seu favor.

Livro novo e um pouco da minha Bienal do Livro.

 Oi, gente! Não costumo fazer posts assim, mas vim falar pra vocês um pouquinho sobre o livro que eu acabei de ganhar do lindo do meu namorado. Trata-se de O Oceano no Fim do Caminho, do inglês Neil Gaiman (autor de Coraline, Stardust e outras obras).
Fiquei interessada no livro desde que ouvi falar sobre o lançamento. Mas foi depois de descobrir quem era o autor que realmente fiquei doida pra comprar. Lembro-me de ficar arrepiada enquanto lia Coraline. O livro me surpreendeu, até porque quando li achei que se tratava de uma história infantil (que não é, nem de longe), e isso contribuiu para que meu interesse aumentasse bastante.
O livro é da editora Intrínseca e a capa é maravilhosa, com letras em alto relevo e macias (como em Rangers e Jogos Vorazes). Contém 208 páginas e eu pretendo lê-lo (e resenhá-lo) muito em breve.
Quero aproveitar pra agradecer ao meu namorado lindo e fofo por ter me dado de presente.
Abaixo, um pouco mais sobre o livro.

Sinopse: Foi há quarenta anos, agora ele lembra muito bem. Quando os tempos ficaram difíceis e os pais decidiram que o quarto do alto da escada, que antes era dele, passaria a receber hóspedes. Ele só tinha sete anos. Um dos inquilinos foi o minerador de opala. O homem que certa noite roubou o carro da família e, ali dentro, parado num caminho deserto, cometeu suicídio. O homem cujo ato desesperado despertou forças que jamais deveriam ter sido perturbadas. Forças que não são deste mundo. Um horror primordial, sem controle, que foi libertado e passou a tomar os sonhos e a realidade das pessoas, inclusive os do menino.
Ele sabia que os adultos não conseguiriam — e não deveriam — compreender os eventos que se desdobravam tão perto de casa. Sua família, ingenuamente envolvida e usada na batalha, estava em perigo, e somente o menino era capaz de perceber isso. A responsabilidade inescapável de defender seus entes queridos fez com que ele recorresse à única salvação possível: as três mulheres que moravam no fim do caminho. O lugar onde ele viu seu primeiro oceano.

O livro e o marcador que eu consegui no estande da Intrínseca, na Bienal do Livro.
Além disso, o livro está super barato na Submarino.

Mudando de assunto, gostaria de falar um pouco da última  edição da Bienal do Livro Rio, que ocorreu no último mês. Sempre adoro eventos literários, e amo marcar presença na Bienal. Fui no último dia do evento (08/09) e consegui comprar alguns livros com bons descontos. Alguns continuavam o mesmo preço de fora, então comprei apenas os que achei que estavam saindo em conta. Abaixo, a foto de alguns dos livros que comprei.


Como já disse na resenha de O Santo Perdido, consegui os dois primeiros livros da trilogia Dark Divine por apenas R$10 cada.
Os três de A Guerra das Sombras, também. Adoro livros nacionais, e essa série me atraiu. O problema é que só tinham esses três (a série é composta por quatro livros), e agora estou caçando O Livro de Dinaer. Mas valeu a pena comprá-los, e pretendo ler a série de Jorge Tavares em breve.
Cael e o Destino de Eleanthus também é nacional e parece ser ótimo.
Além disso, pude trazer pra casa Morte e Vida de Charlie St. Cloud, de Ben Sherwood e Aconteceu em Paris, de Molly Hopkins, ambos da editora Novo Conceito.
Trouxe também Diário de Uma Paixão, de Nicholas Sparks. Ainda não li, mas é o próximo de minha lista, já que espero a tanto tempo para ter esse livro em mãos. Sou completamente apaixonada pelo filme e pela história.

E isso é tudo que trago por hoje.
Beijos e até a próxima.

Resenha: O Santo Perdido - Bree Despain.






Sinopse: Ao tentar salvar Daniel, Grace é infectada pela maldição do lobisomem e seu irmão, Jude, é capturado pela gangue dos Shadow Kings - formada por demônios, vampiros e lobisomens. Com a família devastada pelo desaparecimento do filho mais velho, Grace inicia uma longa e sombria jornada à procura de Jude. É nesse momento que ela conhece Talbot, um forasteiro misterioso que colocará sua relação com Daniel em perigo. No segundo volume da trilogia Dark Divine, Grace terá de resistir contra o mal e a força obscura que habitam seu coração. O reencontro, a cura ou a perdição estarão mais uma vez em seu caminho, mas ela não estará disposta a perder seu amor e sua alma diante desse novo desafio. Nessa jornada entre o bem e o mal, Grace conseguirá fazer as escolhas certas?







Antes, preciso confessar algumas coisas.
Encontrei na Bienal do Livro Rio deste ano os dois primeiros livros da trilogia Dark Divine por um preço super em conta. Na verdade, nunca tinha ouvido falar da trilogia, mas as capas e o preço chamaram a minha atenção. A sinopse, carregada de mistério, me fez trazer os dois pra casa.
Por curiosidade, procurei os livros na Livraria Saraiva e descobri que cada um custa cerca de R$35.
Eu paguei R$10 por cada um. Podem imaginar a minha carinha de felicidade quando descobri que tinha economizado cerca de R$50 na compra dos dois.
Preferi não criar grandes expectativas justamente para não me arrepender depois, mas os livros despertaram minha curiosidade. Para falar a verdade, esperava algo como Crepúsculo, por falar de lobisomens e coisas do tipo. Mas a história me surpreendeu.
O primeiro livro é puro mistério, e termina gritando "vai lá ler a continuação logo!". (Resenha do primeiro livro: Paixão Proibida)

Mas o segundo livro...

Bom, quando Grace consegue salvar Daniel da maldição do lobo, ela é infectada por seu irmão, Jude (e tem toda aquela coisa bonitinha de "não me importa se vou perder a alma se isso for salvar a sua"). Jude desaparece e deixa a família desolada, principalmente sua mãe.
Em O Santo Perdido, Grace precisa encontrar seu irmão e, ao mesmo tempo, lutar contra a maldição. Daniel começa a treiná-la para que consiga encontrar o equilíbrio e controlar seus poderes. Grace vê em si mesma a esperança de se tornar um Cão Celestial, e não um Cão da Morte. Ela espera se tornar uma super-heroína, ou algo do tipo.
Seu pai parte em busca de pistas sobre seu irmão mais velho, e retorna com ajuda de alguém um tanto previsível.
Quando Daniel começa a esconder algumas coisas e decide parar de treiná-la, Grace decide treinar e ir atrás de seu irmão sozinha.
É aí que ela conhece Talbot, um jovem de quem pouco sabe, mas que está disposto a ajudá-la.
O problema é que Grace começa a esconder coisas de Daniel também. Os dois passam a ter segredos que só são revelados no final do livro, e os torna mais distantes a cada capítulo. Às vezes até te faz questionar sobre o grande amor dos dois, que se torna tão visível no primeiro livro. Mas no fim das contas, o amor deles volta à tona, e você percebe que o romance deles não é aquele amor dos livros normais, cheio de exageros e cenas fofinhas, e sim um romance comum, com altos e baixos. É claro que tem os seus momentos dramáticas, mas é um amor verdadeiro e, ao mesmo tempo, realista.
Grace acaba descobrindo que Jude está com a gangue dos Shadow Kings e, junto de Talbot, começa a ir atrás de pistas sobre o paradeiro da gangue, formada não apenas de Urbats, mas de vários seres que ela jamais pensou que pudessem existir.

O mistério desse livro não está mais focalizado em Daniel, e sim em Talbot. O suspense gira em torno dele até os últimos capítulos, e sua opinião sobre ele vai variando com o decorrer do livro.
Jude ganha um foco maior, pois a história gira em torno de sua busca. Ele se torna um personagem surpreendente e fundamental no decorrer da história, principalmente no final.

Infelizmente, o terceiro livro ainda não foi traduzido. Bree Despain fez um ótimo trabalho, e eu mal posso esperar (de verdade, eu nem sei se vou conseguir esperar) pela continuação desta incrível trilogia.
Layout por Maryana Sales - Tecnologia Blogger